VIA AÉREA DIFÍCIL EM OBSTETRÍCIA

SELO Actividade Acreditada vf 1,2cdp_.pn

OBJETIVOS

Identificar a necessidade de abordar a VA em Obstetrícia e fazê-lo de acordo com as guidelines e recomendações internacionais instituídas pela Difficult Airway Society (DAS).

TEMÁTICAS

  • DAS guidelines em Obstetrícia – Algoritmo de decisão

  • Avaliação da VA em obstetrícia e dispositivos

  • VA supraglótica

  • Videolaringoscopia

  • Traqueotomia e cricotoromia, em emergência obstétrica

  • Dispositivos acessórios de abordagem e intervenção na VAD, em Obstetrícia

  • Casos Clínicos Práticos

DESCRIÇÃO

Ao longo do exercício profissional em Obstetrícia, o profissional de saúde poderá deparar-se com uma diversidade de contextos/situações na grávida com necessidade de proceder à abordagem da Via Aérea na mesma.
Esta área específica da Via Aérea (VA), em Obstetrícia, continua a ser um enorme desafio para os profissionais de saúde.

A falta de conhecimento e treino nesta área específica, resultado do número cada vez menor da realização de anestesias gerais, em prol das anestesias loco regionais, gerando por vezes nestes profissionais de saúde um sentimento de insegurança. Desta forma, e como necessidade de ultrapas- sar esta lacuna, surge o Curso de Via Aérea Difícil, em Obstetrícia, que visa a atualização do conhecimento aplicado à prática, por forma a que o profissio- nal de saúde, possa tomar decisões e realizar intervenções seguras, adequa- das à situação clínica.

A abordagem da VA pode ser programada (aquando da realização de uma cesariana programada) ou urgente, cesariana por Cardiotocografia não tranquilizadora, ou emergente, (aquando de uma cesariana por emergência obstétrica, nomeadamente prolapso do cordão umbilical, rutura uterina, ausência de batimento cardíaco fetal, paragem cardiorrespiratória na grávida), entre outras situações clínicas.

Como tal, é vital identificar todos os preditivos que se associam ao risco de uma VAD.
Importa ainda referir que, durante a gravidez, trabalho de parto e parto, verifica-se um aumento gradual da Escala de Mallampati, devido às alterações da mucosa do trato respiratório superior, uma vez que este se torna mais vascularizado e edemaciado, levando ao aumento do risco de hemor- ragia e edema da VA. O edema pode ainda ser exacerbado por uma situação de Pré-eclâmpsia, administração de fluídos, perfusão de oxitocina e pela Manobra de Valsalva, durante o trabalho de parto e parto.

O esvaziamento gástrico durante o trabalho de parto e após a administração de opióides ocorre mais lentamente, por outro lado, a produção de proges- terona diminui o tónus muscular do esfíncter esofágico. Assim, o risco de refluxo gástrico está aumentado na grávida. A diminuição da capacidade residual funcional e as necessidades aumentadas de oxigénio conduzem à dessaturação rápida durante a apneia, o que se agrava na parturiente obesa.

A maioria das intubações difíceis e falhadas ocorrem durante emergências obstétricas e fora de horas. A preocupação para que a cesariana ocorra o mais rápido possível, de forma a aumentar a sobrevivência materna e fetal, leva a uma pressão de tempo, o que pode resultar em má preparação, planeamento, comunicação e desempenho de competências técnicas.

Por outro lado, muitas unidades obstétricas estão distantes dos serviços centrais dos hospitais, o que por sua vez atrasa o acesso a ajuda de profis- sionais e equipamentos mais especializados.

Assim, o manuseamento da VA é, frequentemente, mais difícil nas pacientes obstétricas pois os fatores maternos, fetais, cirúrgicos e situacionais contri- buem para o aumento da incidência de VAD.

METODOLOGIA

Palestras teórico-práticas, PBL e ensino simulado (Hands-on e pacientes virtuais com Body InteractTM).

DURAÇÃO

8 horas (4h teóricas e 4h práticas)

DESTINATÁRIOS

Médicos, Enfermeiros, Alunos de Medicina e Enfermagem.

ACREDITAÇÃO/ PATROCÍNIO CIENTÍFICO

Departamentos de Anestesiologia e Cuidados Intensivos, Saúde Materna e Obstetrícia / DAS.

Agende online. É fácil, rápido e seguro.

Politica cancelamento curso :

 

Ao formando é permitido alterar a data de frequência do curso mas não é possível cancelar a inscrição e obter o reembolso da mesma. Poderá solicitar a alteração da data de realização do curso , sem custo extra, se avisar até uma semana antes. Após este período fica à consideração da coordenação a aplicação da taxa extra de 50€.

A Healthway pode ter que adiar a data do curso por insuficiência de formandos inscritos ou por outro motivo de força maior.

Apenas e só se houver cancelamento do curso sem possibilidade de realização do mesmo no período de ano civil seguinte , o formando pode optar por pedir o reembolso integral do valor pago.